Smartphone resistente à água: tudo o que você precisa saber.

por 21 de setembro de 2015 Novidades Sem Comentários
09193335359475

Quem tem smartphone ou qualquer outro aparelho eletrônico já sabe: água e líquidos funcionam como verdadeiros ímãs quando estão próximos a esses dispositivos. Chuva, poças, pias, privadas, piscinas, copos em mesa de bar ou lugares molhados sempre parecem atrair nossos equipamentos e “tragédias” podem acontecer a qualquer momento.

Para acabar com esse problema, algumas empresas especializadas em tecnologia, como a Samsung e a Sony, recentemente apresentaram seus novos modelos à prova d’água. É isso mesmo! Smartphones que poderão entrar em contato com a água — somente doce, a água do mar ainda é um problema —, e até serem mergulhados, sem riscos, por tempo suficiente para registrar uma bela selfie da galera na piscina.

Mas como isso é possível? É o que vamos explicar a seguir. Acompanhe nosso post e descubra tudo o que você precisa saber sobre essa nova tecnologia. Confira:

Classificação IP 

Existe uma grande diferença entre aparelhos à prova d’água e resistentes a ela. A maioria se encaixa somente na segunda especificação. E para diferenciá-los foi criado um índice de classificação chamado de código IP, ou International Protection/Ingress Protection.

O padrão IP foi estabelecido pela International Electrotechnical Commission (IEC) e serve para identificar o grau de proteção oferecido pelas empresas a seus aparelhos. Essa classificação é diferenciada por dois números. O primeiro revela o grau de proteção contra contatos humanos ou de outros objetos e de resíduos sólidos, como poeira. Essa escala varia de 0 (nenhuma proteção) a 6 (totalmente vedado contra poeira). Já o segundo indica a resistência à água e outros líquidos. A variação vai de 0 (sem proteção) a 8 (equipamento adequado para submersão contínua na água — além de um metro de profundidade).

Como isso é possível?

Se você é um fã de smartphones e um bom observador, já deve ter reparado que com o passar dos tempos os teclados analógicos sumiram e o número de botões externos diminuiu bastante. Essas mudanças foram fundamentais para que os aparelhos de hoje resistam à água e possam até ser submergidos sem problemas. Isso ocorre porque o líquido não afeta a tela sensível ao toque e, desde que bem vedado, o aparelho não é “inundado” pela água, uma vez que não há brechas para a penetração dela.

A única anomalia que pode ocorrer é a tela touchscreen enlouquecer e funcionar sozinha. Mas isso tem uma explicação: essas telas funcionam por meio do toque humano, que transfere pequenas cargas elétricas ao aparelho, que, por sua vez, transforma essa energia em comandos através de seus circuitos internos que os encaminham ao sistema central do dispositivo, que, muito rapidamente, os converte em resultados na tela. E a água, que também uma excelente condutora de eletricidade, embaralha todo esse processo.

Por conta disso, a maioria dos novos aparelhos já vem com um botão específico para tirar fotos e gravar vídeos embaixo d’água sem que isso precise ser feito pela tela.

Cuidados com o smartphone na água

Contudo, além de conferir o IP de seu aparelho antes de colocá-lo na água, certifique-se de que ele é selado internamente, todas as portas e saídas estejam bem fechadas e adquira uma capa protetora de borracha para vedar o dispositivo e evitar que o líquido penetre nele, pois, geralmente, não há garantia de troca de equipamento em casos de acidentes desse tipo.

E se por algum motivo seu aparelho parar de funcionar após entrar em contato com a água, mergulhe-o em um saco de arroz para que os grãos possam absorver toda a umidade encontrada. Apenas tome cuidado para não arranhar a tela do aparelho e para nenhum grãozinho mais atrevido entrar em algumas das portas do dispositivo.

A maioria dos novos aparelhos já estão saindo das fábricas com classificações altas de IP e, em breve, a tendência é que todos os dispositivos eletrônicos sejam capazes de submergir sem problemas, pondo um fim a uma das maiores tragédias do mundo tecnológico: a queda na água.

Já está cheio de expectativas para essa novidade tecnológica? Conte pra gente!

Comentarios

comments

Faça um comentário