Meu smartphone caiu na água. E agora?

por 4 de agosto de 2016 Novidades Sem Comentários
celular, água

Acidentes acontecem, mas os casos de smartphone que são afogados pela chuva, pela piscina ou pela cerveja lideram a lista com as maiores causas de perda de aparelhos celulares. O contato com líquidos pode ser altamente prejudicial para o hardware e resultar em um estrago total, mas seguindo alguns procedimentos, o aparelho pode ser totalmente recuperado sem danos.Seu smartphone caiu na água? Veja agora o que você deve fazer para não perdê-lo:

Contato com líquido? Desligue imediatamente.

Seu inseparável smartphone resolveu nadar em outras praias quando menos se esperava, você finalmente consegue resgatá-lo e toma qual atitude? Liga novamente para ver se ele está funcionando? Não faça isso a menos que queira perdê-lo de vez! Quando ele está ligado, as chances de ocorrer um curto-circuito são maiores e isso é a pior coisa que pode acontecer, pois a água é altamente condutora de eletricidade.

A coisa mais importante a fazer se você pretende recuperar seu aparelho é desligá-lo o quanto antes. Se a queda fez o smartphone apagar, não ligue ele novamente e continue os procedimentos.

Retire as peças, começando pela bateria.

Após desligar o aparelho, retire a bateria e depois os outros componentes: case, chip e cartão micro SD, caso tenha. Se o modelo possuir a bateria integrada, como os Moto G recentes, retire a capinha de trás e os cartões somente e siga os outros passos normalmente.

Verifique o indicador de umidade.

A primeira coisa a fazer é tirar o celular imediatamente da água. Quanto mais tempo ele ficar imerso, mais difícil será sua recuperação. Alguns telefones, como os da Apple, possuem indicadores de quanto contato com a água ou qualquer outro líquido o smartphone teve. Com a ajuda de uma lanterna, é possível enxergar um pequeno sinal vermelho nos orifícios da parte de baixo do smartphone, que indica a intensidade com que o líquido atingiu o aparelho. Porém, mesmo que o indicador não esteja vermelho, é bom seguir os procedimentos e garantir que ele não estragará.

Retire o excesso de água.

Com um pano seco ou papel toalha bem absorvente, retire o excesso de água do aparelho, das pequenas frestas e entre as teclas. Você pode contar com a ajuda de um aspirador de pó para arrematar essa etapa, direcionando o bico para os orifícios do telefone. Algumas soluções como deixar o celular dentro de um pote com arroz ou com sílica-gel são controversas, pois podem trazer outros problemas para o celular. Caso queira, a ajuda do secador de cabelo pode ser boa, mas use somente com jato frio, pois o calor pode danificar o aparelho. O ideal é que o smartphone seja seco ao natural e na sombra.

Tentativa de sobrevivência

A última etapa é religar o aparelho já completamente seco. É importante saber que não adianta ter pressa, o ideal é esperar no mínimo 24 horas para tentar ligá-lo novamente. Em alguns casos, será necessário ainda mais do que esse período para secar completamente — vai depender do tanto de água que entrou e do modelo do aparelho. Caso ele não funcione e você tenha feito todos os procedimentos conforme indicamos, talvez a melhor ideia seja levar a uma assistência técnica. Lá, as peças são higienizadas com álcool isopropílico, desenferrujadas e o contato elétrico reestabelecido.

Os danos causados por líquidos em smartphones que caem na água são considerados mau uso, por isso, não são cobertos pela garantia dos fabricantes. Porém, nada melhor do que proteger e evitar que incidentes como esse aconteçam.

Quer saber como proteger ainda mais o seu tão precioso smartphone? Conheça a Gorila Shield e veja como as películas e capas protetoras podem aumentar a vida útil do seu dispositivo.

Comentarios

comments

Faça um comentário